Sistema de Câmeras Digitais: Conheça todos os recursos da sua câmera

Câmeras Digitais com super recursos e novos sistemas. Mas você sabe usar cada função de sua digital? Veja nossas dicas para entender melhor a câmera digital que você tem e o que ela poderá fazer para melhorar suas fotos!

Sistema das Câmeras Digitais

AD Converter

Sensores são constituídos de pixels com fotodiodos que convertem a energia dos fótons da carga elétrica. Essa carga elétrica é convertida em uma tensão que é amplificada a um nível em que podem ser processadas pelo Conversor Analógico Digital (ADC). O ADC classifica as tensões analógicas dos pixels em uma série de níveis discretos de brilho e atribui a cada nível de uma etiqueta binário composto de zeros e uns. Um bit ADC seria classificar os valores de pixel como preto (0) ou branco (1). Dois bits ADC seria classificá-los em quatro (2 ^ 2) grupos: preto (00), brancos (11), e dois níveis entre (01 e 10). A maioria das câmeras digitais de consumo usam 8 bits ADCs, permitindo até 256 (2 ^ icon cool Sistema das Câmeras Digitais valores distintos para o brilho de um único pixel. Valor 0 é o brilho do preto absoluto e 256 do branco absoluto. Caso você tenha o programa photoshop, observe a ferramental leves (inglês) níveis (português).

As câmeras digitais SLR têm sensores com maior gama dinâmica e geralmente são equipados com 10 ou 12 bits ADCs. Normalmente tais câmeras oferecem a opção de salvar as 10 ou 12 bits de dados por pixel em JPEG e RAW porque permite apenas 8 bits de dados por canal. Os bits determinam a profundidade de cores, também conhecidos como padrões sRGB (8 bits de cor por canal) e ABOBE RGB (16 bits de cor por canal). Estes padrões determinam a gama de cores a ser reproduzida, quanto mais bits,melhor! Recomenda-se a ajustar a câmera para ADOBE RBG. Alguns manuais de instruções informam na ficha técnica as caracteristicas técnicas do AD Converter utilizado.

AF Assist Lamp
As câmeras são equipadas por alguns fabricantes, com uma lâmpada, para ilumina o assunto que você está focando ao fotografar em condições de pouca luz. Esta lâmpada auxilia o sistema de focagem das câmeras de autofoco, onde outras câmeras provavelmente falham. Estas lâmpadas  funciona em um intervalo relativamente curto e alcançam cerca de 4 metros. Algumas lâmpadas usam  infravermelha em vez da luz visível. Alguns sistemas de flash externos apresentam o seu próprio foco auxiliar com luzes de alcance maior. O uso deste recurso poderá abreviar a carga da bateria. Nas câmeras reflex digitiais este recurso pode ser habilitado ou desabilidado no menú da camera. Consulte seu manual de insctruções.

AF Servo
Autofoco Servo refere-se a capacidade da câmera para o contínuo foco em um objeto em movimento, um recurso normalmente encontrado em SLRs digitais. Este geralmente é usado por fotógrafos esportivos ou animais selvagens para manter um assunto móvel no foco. O foco fica fixo no assunto, mesmo em movimento.
Autofocus

Todas as câmeras digitais ja vêm com sistema autofoco (AF). No modo de foco automático. a câmera, automaticamente focaliza o assunto na área de foco no centro do visor LCD. Todas as câmeras digitais profissionais permitem-lhe selecionar áreas adicionais. Mesmo periféricas com indicação da leitura de autofoco no visor óptico.

Em “single AF”, a câmera foca quando o botão do obturador é pressionado. Algumas câmeras oferecem “continuous AF” modo onde a câmera focaliza continuamente. Isso encurta o tempo de atraso, mas reduz a vida útil da bateria. Uma luz de confirmação de foco irá parar de piscar quando o assunto em foco. Autofoco é geralmente baseada na detecção de contraste e por isso funciona melhor em assuntos de alto contraste e menos ainda em condições de pouca luz, caso em que o uso de uma lâmpada auxiliar AF é muito útil. Algumas câmeras também possuem foco manual, para situações onde o “AF” poderá falhar. Cenas com prioridade de brancos, brilhos ou refelxos são o bastante para o AF “enlouquecer”. Os modos de AF são programados no menu de sua camera ou por meio de um comando externo. Para connhece-lo melhor, consulte manual de instruções.

Baterias
AA Descartáveis: Dado o elevado consumo de energia das câmeras digitais, é economicamente e ambientalmente injustificada usar pilhas descartáveis, exceto em situações de emergência quando suas fontes recarregáveis estão esgotadas. AA de lítio descartáveis são mais caras do que alcalinas, mas com cerca de três vezes o poder a mais pela metade do peso, são ideais para levar com você como um backup.

AA Recarregáveis (NiCd e NiMH): NiMH (níquel metal hidreto) pilhas AA recarregáveis são muito melhores do que os mais velhos NiCd (níquel cádmio) AA. Eles não têm “efeito memória” (explicado abaixo) e são duas vezes mais poderosas. Capacidades estão melhorando constantemente e se diferem por marca.

Baterias de íon-lítio: Li-ion (lítio-ion) pilhas recarregáveis são mais leves, mais compactas, mas mais caras do que as baterias NiMH. Elas não têm nenhum efeito de memória e sempre vêm em formatos de cartuchos ou tabletes pré- definidos por cada cabricante (não existem AA recarregável Li-ion). Algumas câmeras também aceitam baterias de lítio descartáveis, tais como 2CR5s CR2s ou por meio de um adaptador, ideal para fins de backup.

Carga: As baterias completamente carregadas perdem gradualmente a sua carga, mesmo quando não estão em uso. Então, se você não usou sua câmera por algumas semanas, certifique-se de trazer uma bateria recém carregada. Carregar baterias NiCD antes de estarem completamente descarregada irá reduzir a capacidade máxima de cargas. Como o efeito é mais forte quando repetida muitas vezes, é chamado “efeito memória”. Por isso, é recomendado para recarregar as baterias somente depois que eles estão totalmente esgotados. Em menor medida, isso também é útil para as baterias de NiMH ou de lítio-íon, embora tenham praticamente nenhum efeito memória. Isso também aumentar a vida útil da bateria, que é determinada pelo número de “carga-descarga” ciclos que depende do tipo e marca. As baterias recarregáveis foram projetadas para durar, em média 500 ciclos, mas esta durabilidade poderá ser menor em função do uso e de como são tratadas e armazenadas.

Veja no manual de sua camera qual o tipo de bateria utilizada, tempo de regarga e tempo médio de vida útil da carga.

Buffer( Memória Ram)
Depois que o sensor é exposto á luz, os dados da imagem serão processados na câmara e, em seguida, para o cartão de armazenamento. O buffer da câmera digital consiste de memória RAM, que detém temporariamente as informações da imagem antes de serem salvas para cartão de memória, acelerando o “tempo entre os disparos”. Atualmente, a maioria das câmeras digitais têm buffers relativamente grandes que lhes permitem operar tão depressa quanto uma câmera de filme durante a gravação de dados para o cartão de memória em segundo plano (sem interromper a sua capacidade de fotografar).

Color Filter Array
Cada “pixel” do sensor da câmera digital contém um fotodiodo sensível à luz, que mede o  seu brilho. Porque fotodiodos são dispositivos monocromáticos, eles são incapazes de dizer a diferença entre diferentes comprimentos de onda da luz. Portanto, um padrão “mosaico” de filtros de cor, uma matriz de filtro de cor (CFA), é colocada no topo do sensor para filtrar os componentes vermelho, verde e azul da luz que incide sobre ele.
Connectivity

A maioria das câmeras digitais apresentam conectividade USB 1.1, com modelos mais sofisticados que oferecem USB 2.0 e FireWire (IEEE 1394) de conectividade. Quando maior o numero USB, mais rápido será a taxa de transferencia de dados.

As taxas de transferência reais são sempre inferiores às taxas de transferência teóricas. As velocidades de transferência de práticas dependem do seu hardware e configuração do software, o tipo de câmera ou o leitor, o tipo e a qualidade do cartão de memória, se você está lendo ou gravando (leitura é mais rápido do que gravar o arquivo de imagem), o tamanho médio de arquivo (alguns arquivos grandes de transferência sao mais rápido do que muitos arquivos pequenos),etc.
Em vez de ligar a câmara com um cabo para seu computador, você também pode inserir o cartão de memória no slot PC Card do notebook ou um  leitor externo de cartões.

Captura Remota: Em algumas câmeras, a ligação para transferir as imagens também podem ser usadas para a captura remota de aplicações e lapso de tempo. A conecção poderá ser feita por sensores, por meio de PC ou controle remoto sem fio. Veja no manual de instruções se sua camera apresenta este recurso.

Saída de Vídeo: A maioria das câmeras digitais também oferecem vídeo (e às vezes áudio) Saída para conexão a uma TV ou videocassete. câmeras mais flexíveis permitem que você mude de saída entre os padrões de vídeo PAL e NTSC. As câmeras com controles remotos infravermelhos tornar mais fácil a fazer apresentações para amigos e familiares a partir do conforto de sua poltrona. Para o Brasil, uilize o sistema NTSC, em Portugal, PAL.

Saída de impressão: Algumas câmeras digitais, por exemplo, aqueles com PictBridge e USB Direct Print apoio, permitem que você imprima imagens diretamente da câmera para uma impressora ativada através de um cabo USB, sem a necessidade de um computador. Embora a impressão direta de uma câmera digital é conveniente, pois elimina um dos principais benefícios da capacidade de geração de imagens digitais de editar e otimizar suas imagens.

Pixels Efetivos
Número efetivo de Pixels: Uma distinção deve ser feita entre o número de pixels de imagem digital e do número de medições de sensores de pixel que foram usados para produzir essa imagem. Nos sensores convencionais, cada pixel tem um fotodiodo que corresponde a um pixel da imagem. Um sensor convencional, por exemplo, uma câmera de 5 megapixels que gera imagens de 2560 x 1920 tem um número igual de “efetiva” pixels, 4,9 milhões para ser mais exato. Pixels efetivo é a garantia de melhor qualidade de imagem.

Número de Pixels Interpolado: Normalmente, cada pixel da imagem é baseado na medição em uma localização de pixel. Por exemplo, uma imagem de 5 megapixels é baseado em medições de 5 milhões de pixels,, dar e receber o uso de alguns pixels em torno da área efetiva. Às vezes com uma câmera, por exemplo, um sensor de 3 megapixels, é capaz de criar imagens de 6 megapixels. Aqui, o firmware (sitema operacional da camera) calcula e interpola, 6 milhões de pixels de informação, baseados na medição de 3 milhões de pixels efetivos no sensor. Ao fotografar em modo JPEG, este alargamento na câmara é de melhor qualidade que aquelas realizadas em seu computador, porque é feito antes da compressão JPEG é aplicada. Ampliar imagens JPEG no seu computador também faz com que os artefatos de compressão JPEG indesejável mais visível. Mesmo produzido pela câmera, a interpolação é sempre prejudicial  para a qualidade da imagem. Veja se o manual de sua camera informa na ficha tecnica se os pixels são efetivos ou não. O firmware é um sistema operacional. O sitema operacional do seu PC é o Windows)

Super CCD da Fujifilm Sensores: Normalmente os pixels são quadrados. sensores Super CCD da Fujifilm tem pixel octogonal. Assim, a distância “d2″ entre os centros de dois pixels octogonal é menor do que a distância “d1″ entre dois pixels quadrados convencionais, resultando em maior (melhor) pixels. Tecnologia proprietária da Fujifilm.

EXIF
Além de informações sobre os pixels da imagem, a maioria das câmaras também armazenam informações adicionais, tais como a data e hora a imagem foi tirada, a abertura, velocidade, tamanho da imagem ISO, e as configurações da câmera. Esses dados, também conhecido como “metadados” são armazenadas em um “header”. Um tipo comum de cabeçalho, conhecido como cabeçalho EXIF (Exchangeable Image File). EXIF é um padrão para armazenamento de informações criado pela JEIDA (Japan Electronic Industry Development Association) para promover a interoperabilidade entre dispositivos de imagem. Os dados EXIF são muito úteis porque você não precisa se preocupar em lembrar as configurações utilizadas quando se toma a imagem. Em algumas cânera, a a possibilidade de gravar o nome do fotógrafo, preservando assim o direito de imagem ao arquivo original. Posteriormente, você pode, então, analisar em seu computador que as definições da câmara criou a melhores resultados, assim você pode aprender com sua experiência. A maioria de edição de imagem e os programas atuais de visão são capazes de exibir, e até mesmo editar os dados EXIF. Note que os dados EXIF podem ser perdidos ao salvar um arquivo após a edição. É uma das muitas razões que você deve sempre preservar a sua imagem original e usar o “salvar como” após a edição. Caso voce tenha uma imagem roubada ou com publicação não autorizada, o arquivo original, com o EXIF é causa ganha!

Lag Time
Lag é o tempo entre apertar o botão de disparo e a câmera de tirar a foto. Este atraso varia um pouco entre os modelos de câmera, e costumava ser a maior desvantagem da fotografia digital. As últimas câmeras digitais, especialmente as prosumer e profissional SLR tem praticamente nenhum tempo de demora e reagem da mesma maneira que câmeras de filme convencional, mesmo no modo de rajada.

LCD
LCD como visor: As câmeras digitais compactas permitem que você use o LCD como visor, fornecendo um vídeo ao vivo da cena a ser capturada. Os LCDs normalmente medem entre 1,5 “e 2,5″ de diagonal, com resoluções típicas entre 120.000 e 240.000 pixels. Os LCDs melhor ter um revestimento anti-reflexivo ou uma folha reflexiva por trás do LCD para permitir a exibição ao ar livre na luz do dia brilhante. Alguns LCDs podem ser puxado para fora do corpo ou angulado para cima ou para torná-lo mais fácil de tomar ângulo baixo ou elevado ângulo disparos. O LCD principal é, por vezes, completado por um visor eletrônico que utiliza um menor de 0.5 “LCD, simulando o efeito de um visor óptico TTL. LCDs de SLRs digitais, normalmente não suportam visualizações ao vivo e são utilizadas apenas para rever as imagens e alterar as configurações da câmera. No menu das cameras digitais reflex temos a opção de programar o tempo que o LCD ficará ligado, para poupar energia eletrica, desliga-lo, no caso de casamentos e eventos sociais (o bom profissional não fica revendo o que fez na presença de todos. Ou ainda em fotojornalismo, em casos eminentes de furto. Se o fotografo fica toda hora consultando o visor, o ladrão logo saberá que se trata de camera reflex diigtal.

LCD para reproduzir imagens: A tela LCD proporciona uma das principais vantagens da fotografia digital: a capacidade de reproduzir as suas imagens imediatamente após o disparo. Algumas câmeras permitem que funções básicas de edição como rotação, redimensionamento de imagens, aparando clipes de vídeo, etc. Em modo de reprodução também pode seleccionar uma imagem a partir do índice em miniatura. Para conferir a qualidade da imagem capturada, utilize o zoom do seu LCD. Quanto mais ampliada, melhor.

LCD Usado como Menu: O LCD também é usado para alterar as configurações da câmera através do botão da câmera, muitas vezes, que permite ajustar as configurações de brilho e cor do LCD em si. O LCD principal é frequentemente complementado por uma ou mais LCDs monocromáticos (que consomem menos energia) na parte superior e/ou na traseira da câmera, mostrando a câmera e definições mais importantes da exposição.

Foco manual
O foco manual desativa a câmera built-in sistema de foco automático para que você possa focar a lente em mão. A focagem manual é útil para a luz baixa, macro fotografia ou especiais efeitos. É muito importante quando o sistema autofocus não consegue obter uma trava de foco bom, por exemplo, em situações de pouca luz. Note que algumas câmeras digitais permitem que você manualmente foco apenas para algumas distâncias predeterminadas. Higher-end câmeras digitais permitem a focalização utilizando o anel de foco normal a lente acoplada, assim como na fotografia convencional. Para obter focalização perfeita em modo manual, primeiro aproxime a imagem com a zoom de sua câmera, focalize nos detalhes e depois volte a zoom na posição de desejar. Este recurso é muito importante, principalmente se sua zoom for pouco luminosa.
Pixels

Sensor Pixels: Semelhante a um conjunto de baldes coleta de água de chuva, sensores digitais consistem de uma matriz de “pixels” na recolha de fótons, os pacotes de energia da própria luz. O número de fótons coletados em cada pixel é convertido em uma carga elétrica pelo fotodiodo sensível à luz. Essa carga é então convertida em  tensão, amplificada e convertida novamente para um valor digital através do conversor analógico-digital, para que a câmera possa processar os valores para gerar um arquivo digital final.

Conforme expôsto no tópico sobre o tamanho do sensor, os sensores de câmeras digitais compactas são substancialmente menores que os de SLRs digitais, com uma contagem de pixels semelhantes. Como conseqüência, o tamanho do pixel é substancialmente menor. Isso explica a baixa qualidade de imagem de câmeras digitais compactas, especialmente em termos de ruído, faixa dinâmica e qualidade das cores.

Pixels da imagem digital: Uma imagem digital é semelhante a uma planilha com linhas e colunas que armazena os valores de pixels gerada pelo sensor. Pixels da imagem digital não têm tamanho definidosaté que sejam exibidos em um monitor ou em imagens impressas. Por exemplo, com um 4 “x 6″ de impressão, cada pixel de uma imagem de 5 megapixels só medir 0,01 milímetros, enquanto em um “x 10″ 8 de impressão, ele vai medir 0.05mm.
Densidade do pixel

Densidade do pixel é um cálculo do número de pixels em um sensor, dividido pela área de imagem desse sensor. Se compararmos duas câmeras com sensor de diferentes tamanhos ou números de photosites (pixels). Como a área de coleta de luz e a eficiência de cada photosite irá variar entre as tecnologias e fabricantes, a densidade de pixels não deve ser utilizado como preditor de qualidade de imagem, mas sim como um parâmetro para ajudar a compreender o sensor.

Os sensores APS-C usados em DSLRs mais modernas têm uma área de aproximadamente 3,5 cm ², enquanto o 1/1.7 “e 1/2.3″ sensores comumente utilizados em câmeras compactas têm áreas de 0,43 e 0,29 cm², respectivamente. Nas câmeras DSLR- APS-C, o tamanho do sensor é de 4 a 5 vezes maior, em relação auma camera compacta, o que permite melhor qualidade de imagem. Os ultimos modelos já gravam video em formato FullL HD.

Qualidade do Pixel
A corrida de marketing para “mais megapixels” gostaria que acreditam que “mais é melhor”. Infelizmente, não é assim tão simples. O número de pixels é apenas um dos muitos fatores que afetam a qualidade da imagem e mais pixels não é sempre melhor. A qualidade de um valor de pixel pode ser descrita em termos de precisão geométrica, precisão de cor, gama dinâmica, ruído e artefatos. A qualidade de um valor de pixel depende do número de fotodetectores, que foram utilizados para determiná-lo, a qualidade do conjunto da lente e do sensor, o tamanho dos fotodiodos ,a qualidade dos componentes da câmera, o nível de sofisticação da câmera, software de processamento de imagem, o formato de arquivo de imagem usado para armazená-lo, etc. Desta forma é interessante questionar se o numero de megapixels de deteminada camera são efetivos ou interpolados.

Precisão geométrica: precisão geométrica ou espacial está relacionado com o número de localizações de pixels no sensor e da capacidade da lente para corresponder à resolução do sensor. O tema resolução explica como isso é medido. Interpolação não vai melhorar a precisão geométrica, uma vez que não é possível criar o que não foi capturado.

Precisão da Cor: Os sensores convencionais utiliza uma matriz de filtrso de cor têm apenas um fotodiodo por local de pixel e irá exibir algumas imprecisões de cor nas bordas, pois os pixels faltando em cada canal de cor são estimados com base em algoritmos demosaicos. Aumentar o número de localizações de pixels no sensor irá reduzir a visibilidade destes artefatos. Os sensores Foveon tem três fotodetectores por local de pixels e, portanto, cria uma maior precisão de cores, eliminando os artefatos demosaicos. Infelizmente as sensibilidades estão mais baixos do que os sensores convencionais, a tecnologia só está disponível em algumas câmeras.

Dynamic Range: O tamanho do pixel e localização do fator de preenchimento determina o tamanho do fotodiodo e isto tem um grande impacto sobre a gama dinâmica. Sensores de alta qualidade são mais precisos e será capaz de reproduzir uma maior gama , que são preservadoa ao armazenar os valores de pixel em um arquivo de imagem RAW.

Ruído: O valor de pixel é composto por dois componentes: (1) o que você quer ver (a medida real do valor na cena) (2) o que você não quer ver (ruído). Alguns modelos de camera apresentam “filtro para diminuir ruido”. Toda ação produz uma reação, para diminuir o ruido, a imagem será levemente desfocada.

O maior (1), e menor (2), melhor a qualidade do pixel. A qualidade do sensor e do tamanho de seus locais de pixel tem um grande impacto sobre o ruído e como ela muda com o aumento da sensibilidade. A quantidade de ruido produzido tambem será inversamente proporcional ao tamanho do sernsor, pou seja quanto maior a área do sensor nemor o ruido e melhor será a resolução da imagem.

Artefatos: Além do ruído, existem muitos outros tipos de artefatos que determinam a qualidade de pixels.

Conclusão: Infelizmente não existe um número padrão de qualidade únicoe objetivo para comparar a qualidade da imagem em diferentes tipos de sensores e câmeras.

Sensor
Os novos sensores Foveon: As células em forma de cone da retina de nossos olhos são sensíveis ao vermelho, verde e azul, conhecidas como  “cores primárias”. Percebemos todas as outras cores como combinações destas cores primárias. Na fotografia convencional, os componentes vermelho, verde e azul da luz expoem as camadas química da película de cor correspondente. Os novos sensores Foveon se baseiam no mesmo princípio, e tem três camadas de sensores que medem as cores primárias. Combinando esses resultados, camadas de cores em uma imagem digital, basicamente, um mosaico de ladrilhos quadrados ou “pixels” de cor uniforme, que são tão pequenos que parece uniforme e lisa.

Sensor de linearidade
Sensores são dispositivos lineares. Se você dobrar a quantidade de luz, dobra a saída do sensor, enquanto os pixels não estão cheios. Uma vez que um pixel atingir a capacidade plena, que lhe dará uma constante ou “cortado” de saída. A duplicação da luz em condições de pouca luz tem um efeito muito maior do que em ambientes muito iluminados. Nossa visão amplifica as sombras e comprime os destaques.

Tamanho do Sensor
O tamanho do sensor das SLR digitais são tipicamente 40% a 100% da superfície do filme de 35mm. As câmeras digitais compactas têm sensores substancialmente menor, oferecendo um número semelhante de pixels. Como conseqüência, os pixels são muito menores, que é uma das principais razões para a diferença de qualidade de imagem, especialmente em termos de ruído e faixa dinâmica.

Cartões de Memoria
Os cartões de armazenamento são para câmeras digitais que os filmes são para as câmeras convencionais. Eles são dispositivos amovíveis que seguram as imagens tiradas com a câmera. Os cartões de armazenamento estão acompanhando o mercado de câmeras digitais em rápida mutação e são tendência no seguinte sentido:

maior capacidade (vários GB) e mais rápida velocidade de gravação para acomodar imagens de alta resolução e fotografar em RAW;
preços mais baixos por MB ou GB de armazenamento;
menor fator de forma para pequenas câmeras digitais.

A única desvantagem de todas essas boas notícias é a proliferação de formatos de cartão de memória, tornando mais difícil a utilização de cartões em diferentes câmeras, leitores de cartão e outros dispositivos (como PDAs, MP3 players, etc).

Indice em Miniatura
Quando em modo de reprodução, a maioria das câmeras digitais permitem que você acessar as imagens e clipes de vídeo no cartão de memória através de um índice em miniatura. Principalmente a 2 x 2 ou 3 x 3 grid de imagens é utilizado, e às vezes isso pode ser especificado pelo usuário. Botões da câmera permite que você navegue pelas miniaturas ou selecioná-los e, dependendo da câmara, realizar operações básicas tais como esconder, apagar, organizando-os em pastas, vê-las como uma apresentação de slides, imprimir diretamente da câmera, etc.

Visor
O visor óptico em uma câmera digital compacta consiste de um simples sistema de zoom óptico que, ao mesmo tempo que a lente principal e tem um caminho óptico que corre paralela à principal lente da câmera. Esses visores são pequenos e seu maior problema é imprecisão ao enquadrar. Uma vez que o visor está posicionada acima da lente real (muitas vezes, há também um deslocamento horizontal), o que você vê através do visor óptico é diferente do que os projetos lente do sensor. Este “erro” é mais evidente em distâncias relativamente pequenas do assunto. Assemelha-se ao erro de paralaxe, nas cameras anagólicas, de visor direto. Em muitos casos, apenas o visor óptico permite que você veja uma percentagem (80-90%) do que o sensor de captura.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: